Saiba como pode financiar o seu projeto de emprego

Bizno Solutions Empreendedorismo, Gestão de empresas, Serviços Leave a Comment

Financiar o seu projeto de emprego pode ser feito nem que seja através do investimento do capital do próprio promotor do negócio. E nem sempre é fácil saber quais as melhores fontes de financiamento e quais as que melhor se adequam a cada caso em concreto. É também importante perceber que quando se quer criar um negócio próprio como opção de auto-emprego, há várias decisões que têm que ser tomadas e que vão condicionar a vida dos empreendedores durante vários anos. Para além de ser necessário ter características pessoais adequadas para iniciar um novo projecto, com o por exemplo ser criativo, organizado, saber correr riscos, ser trabalhador, obstinado e não desistir, entre outras que iremos analisar num próximo artigo.

Mas, para além das opções de vida, ou de carreiras, e das características pessoais de cada empreendedor, o sucesso de cada novo projecto de emprego próprio,  irá sempre depender duas variáveis que são comuns a qualquer negócio, que são:

  • Ter dinheiro para o investimento inicial e as despesas de arranque
  • Ter um bom plano de negócio e estudo de viabilidade para desenvolver e promover o negócio.

Financiar o projeto de emprego

Antes de pensar nas formas de financiamento, para o seu projeto de emprego, deve também pensar no que vai ser necessário para o mesmo. E é sobre isso que vamos falar agora de seguida.

O Investimento inicial

No desenvolvimento da nossa actividade de consultoria de apoio à gestãoi, temos tido vários clientes que confundem o investimento inciial com o capital social necessário para a bertura de uma empresa.

Convém esclarecer que o valor do capital social de uma empresa, neste momento e de acordo com a legislação portuguesa pode ser de 1 Euro. Mas é claro que a opção pelo capital social é da exclusiva responsabilidade do promotor, e deve ter em linha de conta vários factores como a credibilidade da nova empresa junto de fornecedores e de clientes. Mas isso será tema para um próximo artigo aqui no blogue.

Mas, voltando ao Investimento inicial, este é o valor que será neecssário para o arranque da nova empresa, onde se incluem entre outros itens, os seguintes: custo de constituição da empresa, materiais, equipamentos administrativos (secretárias, computadores, software, etc.), viaturas, licenças de construção, alvarás, entre muitos outros.

As Despesafinanciars de Arranque

As despesas de arranque de um negócio não são mais do que o fundo de maneio necessário para fazer face, normalmente aos primeiros 3 meses de actividade. Convém não esquecer que quando se inicia um novo negócio, será preciso facturar e receber dos clientes para ter dinheiro “em caixa”, para pagar salários, luz, comunicações, enmtre outras despesas fixas que são independentes do volume de facturação. Ou seja, quer se facture muito, pouco, ou nada, estas despesas serão constantes.

Financiamento

É cada vez mais dificil  obter financiamento na Banca Comercial para novos negócios, já que normalmente são pedidas garantias reais aos promotors do mesmo. Mas é claro que isto pode variar em função do relacionamento anterior que já exista com a banca. De qualquer forma não perde nada em falar com o seu gestor de conta e verificar quais as possibilidades que o seu banco lhe oferece.

Em termos de apoio extra bancário, podem sempre considerar as seguintes situações:

PAECPE – Para quem está em situação de desemprego o Programa de Apoio ao Empreendedorismo do IEFP (PAECPE/Invest+) permite receber a fundo perdido as prestações de desemprego e aceder a crédito bonificado.

CAPITAL DE RISCO – Para quem não está em situação de desemprego o acesso a financiamento é possível através do FINICIA ou diretamente junto de uma Sociedade de Garantia Mútua.

BUSINESS ANGELS – Projetos de elevado risco e com elevadas perspectivas de retorno podem despertar o interesse de investidores de risco (Business Angels).

PROJETOS À MEDIDA – Se possui experiência anterior no negócio que quer desenvolver pode desenvolver um projeto “à medida”; se não tem experiência de gestão é aconselhável estruturar o projeto recorrendo a um consultor que o possa auxiliar.

FRANCHISING – Se não tem experiência na área de atividade que pretende iniciar , uma alternativa bastante popular é o recurso a um negócio em Franchising; neste caso o apoio técnico e de gestão são prestados pelo franchisador.

CROWFUNDING – Se pensa que tem uma ideia que pode ser partilhada com outros, pode recorrer ao crowdfunding, onde os potenciais interessados investem, em troca normalmente de um produto que vai comercializar. É claro que o valor de investimento individual é menor, e precisa de muitos interessados para que a sua ideia possa ser financada atarvés do crowdfunding.

PLANO DE NEGÒCIO E ESTUDO DE VIABILIDADE – Em qualquer caso para obter financiamento é necessário apresentar um bom plano de negócio, bem como demonstrar a viabilidade económico e financeira do mesmo..

Em próximos artigos vamos falar sobre cada uma destas fontes de financiamento com mais detalhes. Por isso se quiser ficar a par das novidades pode sempre subscrever a nossa newsletter.

Caso estaja a pensar em criar o seu negócio, e precise de ajuda, basta contactar-nos e dar-nos a conehcer a sua ideia. Temos todo o gosto em ajudar, e não cobramos nada pela análise 🙂

Até Breve!